quinta-feira, 4 de julho de 2013

Um tour pela vinícola Concha y Toro

Olá! Dando continuidade às atrações do país mais comprido do mundo, faremos um tour pela Concha y Toro, fundada em 1883 pelo político e empresário chileno Don Melchor Concha y Toro. Muitos dizem que a vinícola é bem turística, mas isso não influenciou nossa escolha pelo fato de seus vinhos serem muito vendidos aqui no Brasil e, consequentemente, mais conhecidos pelos brasileiros. Além do mais, é a maior e mais famosa vinícola do Chile e terceira maior produtora de vinhos do mundo. 

Para chegar até lá pegamos a linha 4 (azul) do metrô de Santiago, descemos na estação Las Mercedes, saímos pela "Concha y Toro Ocidente" e tomamos um táxi até a vinícola, que está localizada na cidadezinha de Pirque, no Vale do Maipo, a uma hora de Santiago.

É preciso reserva. Optamos pelo Tour Clássico (18 dólares), que dá direito ao passeio pela área externa da residência de verão da família Concha y Toro (século XIX), onde há um parque e seus jardins inspirados na França, pelo Jardim de Variedades, onde aprendemos sobre os vinhos enquanto admiramos a bela paisagem, pela adega do carro-chefe Casillero del Diablo e, por fim, uma degustação com taça de presente. 

Existem ainda outros dois tipos de tour, o Marques de Casa Concha (U$ 38,00) e o Experiência Don Melchor (U$ 139,00). Ambos dão direito aos mesmos passeios do Tour Clássico, acrescidos de algumas vantagens, como uma degustação mais exclusiva, acompanhada de queijos finos ou petiscos mais sofisticados. E para quem deseja um tour em português, somente o Tradicional oferece o idioma. Os horários são de 11:20, 12:20, 14:50 e 17:00 hs.

Para quem tiver disposto a ir um pouco mais longe, a 178 km de Santiago, o Vale do Colchágua apresenta 39 vinícolas. Algumas das melhores são Casa Silva e Casa Lapostolle, que possuem acomodações para hospedagem.


O passeio teve início em um belíssimo corredor arqueado coberto por uma parreira. Logo ao final avistamos a casa onde a família Concha y Toro passava os verões do século XIX. Pausa para o guia explicar sobre a história da família e como tudo se originou. 



Fonte em frente à casa

Tudo tinha um quê de Europa, desde os jardins até a residência. Mais à frente, paramos no Jardim de Variedades, onde aprendemos um pouco sobre as uvas e o processo de produção dos vinhos.



A brisa do Pacífico, o abrigo da Cordilheira dos Andes, solos equilibrados, boas condições climáticas e rios cristalinos fazem com que poucos países no mundo sejam tão adequados para a produção de vinhos como o Chile. 

Casillero del Diablo é um dos mais famosos vinhos da Concha y Toro. Diz a lenda que Don Melchor, ao descobrir que seus melhores vinhos da safra estavam desaparecendo misteriosamente, espalhou para as pessoas o boato de que o diabo vivia na adega, onde os vinhos eram guardados. Para os que visitam o lugar, que fica no subsolo, há uma simulação com luzes vermelhas e sombra do "coisa ruim". Dá até pra sentir um certo receio se estiver sozinho...rsrsrrs.

,


Finalizamos o tour com a melhor parte, a degustação e, logo após, demos um pulinho na loja de produtos Concha y Toro, mas não vimos vantagem em comprar os vinhos, que são mais baratos nos supermercados de Santiago e estes, por sua vez, bem mais em conta que no Brasil, obviamente. Como lembrança compramos um boné e um avental bacana de tecido.

Local onde degustamos os vinhos
Abaixo, seguem algumas fotos retiradas do site da vinícola:




Loja de vinhos e souvenir. http://www.conchaytoro.com
Saímos de lá no fim da tarde e chegamos em Santiago com o dia ainda claro. É que no verão, a noite chega somente por volta das 21:30 hs. O dia fica bem longo e isso é ótimo!

Até breve!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do blog e deixe seu registro!