sexta-feira, 29 de julho de 2016

Padrões de tomada dos países das Américas, Europa e Ásia

Olá, queridos viajantes! Hoje falaremos sobre o padrão de tomadas dos vinte países mais visitados pelos brasileiros. 

Dando uma espiadinha no site da Folha, encontramos uma ilustração super bacana e muito útil, baseada na Comissão Eletrotécnica Internacional, evitando que você seja pego de surpresa. Confira abaixo o plugue adotado no seu próximo país de visita, adquira seu respectivo adaptador e não deixe de incluí-lo no seu "checkl list" de bagagem.



Ilustração de Alexandre Affonso (site Folha)

Lojas como Walmart, Duty Free e Submarino vendem adaptadores ajustáveis aos padrões de tomadas, que podem ser utilizados em vários países. O que compramos é da marca Targus e é bem completo, pois vem com três adaptadores. O produto pode ser adquirido no Duty Free.

Para quem ainda não tem, adquira o seu e boa viagem!

Até a próxima!

B.Jus

domingo, 12 de junho de 2016

Bahia - A cidade de Paulo Afonso e o Velho Chico

Olá!! Hoje contaremos para vocês nossa experiência no interior baiano, mais precisamente na cidade de Paulo Afonso e sua região banhada pelo Velho Chico, apelido carinhoso dado ao rio São Francisco.

O motivo da nossa viagem foi o casamento de um primo e, assim, uma boa oportunidade para conhecermos esse pedacinho de Bahia. Para chegarmos até lá pegamos um voo direto da Azul, partindo de Salvador, com duração de 1 hora e 20 minutos.

Conhecida como Terra da Energia por possuir grande volume de água doce, a região está localizada no norte da Bahia, na divisa com o estado do Alagoas. Hospedamos no hotel San Marino, no centro da cidade. Nossa acomodação ficava no prédio anexo ao hotel, com instalações mais novas e aparência de flat. A piscina e o restaurante onde o café da manhã era servido ficavam em outro prédio, bem como a recepção. Mas sem problemas, basta atravessar a rua.

Quarto do hotel San Marino

Cobertura do hotel
Como em toda chegada de viagem a fome aperta, resolvemos sair pela redondeza e, por acaso, encontramos a padaria Boa Massa. Gostamos bastante e marcamos presença em todos os lanchinhos do dia. Salgadinhos e afins no sistema self-service, pizzas, sanduíches e tudo que uma boa padaria possa oferecer, além de doces artesanais como goiabada cascão e fondant de doce de leite faziam parte das delícias.




No dia seguinte, tiramos um bom tempo para conhecermos o Complexo Hidrelétrico da Chesf, um dos maiores do Brasil, onde podemos ver de perto o processo de geração de energia do Rio São Francisco. Para seu funcionamento foi necessária a construção de grandes barragens que formam imensos lagos, gerando, assim, as usinas PA I,II,III e IV e Apolônio Sales.

A entrada é gratuita, mas deve ser acompanhada por um guia turístico ou funcionário da empresa. Pontes, quedas d'água, o verde da vegetação e o colorido de muitas flores fazem parte desse passeio imperdível. Começamos em um mirante onde avistamos grande volume de água e paredões de rochas que encontram com o rio São Francisco. Depois avistamos a ponte onde foi gravada uma das cenas da novela Senhora do Destino.

Queda'água


Ponte onde foi gravada uma das cenas da novela Senhora do Destino com a personagem Nazaré de Renata Sorrah

Um dos belos lagos
De lá, fomos até a usina PA IV, onde está localizada a interessante caverna, considerada uma das maiores do mundo. Com 210 metros de extensão, 24 metros de largura e 55 metros de altura, a caverna dá acesso aos geradores de energia. Logo em frente à entrada podemos avistar as comportas, que estavam fechadas, e ao fundo uma ponte sobre as águas.

Uma das maiores cavernas do mundo

Ao final da caverna podemos ver os geradores da hidrelétrica

Comportas fechadas

Uma das lindas paisagens que podemos apreciar durante o passeio

Na próxima parada avistamos a cachoeira de Paulo Afonso, visitada por D. Pedro II, conforme o registro abaixo e "Angiquinho", a primeira usina construída em 1913, localizada no município alagoano de Delmiro Gouveia.

Registro da visita de Dom Pedro II à cachoeira

Belíssima vista para a cachoeira de Paulo Afonso

Margem alagoana: Vista para Angiquinho e a antiga casa de máquinas encravada na rocha
No mirante de onde apreciamos toda essa beleza, há um paredão de pedras com uma poesia de Castro Alves e uma lojinha de artesanatos.

Poema de Castro Alves no paredão de pedras.

Loja de artesanatos
Há muitas outras atrações interessantes na região, como o passeio de catamarã até o cânion do rio São Francisco, com duração de aproximadamente 3 horas. É um programa imperdível, mas não tivemos tempo de fazer. Para maiores informações, acesse o site oficial da prefeitura.

Após nossa visita à Chesf, passamos por alguns pontos da cidade. Um deles foi a escultura O Touro e a Sucuri, na qual o touro representa a força natural dos rios e a sucuri representa a ciência, o conhecimento do homem. Significa que o rio é domado pela ciência, pela engenharia.

O Touro e a Sucuri
Outro ponto foi o Parque Belvedere, conhecido também como Jardim dos Namorados, um dos locais preferidos dos pauloafonsinos.

Parque Belvedere
Passamos também em frente à Igreja de São Francisco de Assis, decorada com pedras das escavações da hidrelétrica de Paulo Afonso, dando um toque rústico e aconchegante.

Igreja de São Francisco
Almoçamos no restaurante Gato Risonho, que serve uma das especialidades da região: carne de bode. Nada a reclamar do atendimento, mas o problema foi na demora na elaboração dos pratos. Esperamos por 1 hora e meia! Pedimos dois pratos: surubim ao molho de camarões e picanha. O primeiro estava saboroso, mas a textura da carne não agradou.

Surubim ao molho de camarões do restaurante Gato Risonho

Picanha com acompanhamentos
Depois do almoço descasamos na piscina do hotel até o pôr do sol.

Fim de tarde em Paulo Afonso
No dia seguinte, antes de partirmo para Salvador, almoçamos no restaurante Velho Chico, o mais tradicional da cidade, onde são servidos pratos muito gostosos, como a tilápia com molho de camarões.

A tilápia da região é bem diferente da congelada que consumimos aqui no sudeste. O peixe é suculento, branquinho, macio e saboroso.


Ficamos por aqui, com mais uma postagem sobre a Bahia e seus encantos!

Um cheiro e até a próxima!


quinta-feira, 2 de junho de 2016

A arrebatadora Innsbruck - roteiro de 1 dia e meio


Após alguns dias na linda Suíça, partimos da estação de trem em Zurick e desembarcamos na austríaca Innsbruck, distante pouco menos de 300 km. Logo na chegada, diversos itens da região do Tyrol nos chamou atenção. Presuntos e embutidos dos mais variados tipos preenchiam as prateleiras de uma simpática loja.

A cidade é lindamente emoldurada pelas montanhas, o que dá um visual arrebatador, especialmente no inverno quando o céu azul encontra-se com o topo coberto de neve! Localizada na famosa região do Tyrol, no oeste da Áustria, Innsbruck é recheada de edifícios coloridos, monumentos históricos e grandes atrações, como o teleférico de Nordkette.

Arquitetura em cores

Loja na estação de trem de Innsbruck

Bem em frente à estação, encontra-se o Grand Hotel Europa, onde hospedamos confortavelmente, fomos super bem atendidos e tomamos um delicioso e variado café da manhã. Escolha certa! O amplo e confortável quarto oferece controle remoto para abrir e fechar as cortinas e para controlar a iluminação, além de banheira e máquina de café. 

Quarto do Grand Hotel Europa




O café da manhã era servido no lindo restaurante Europa Stüberl, todo revestido em madeira da região do Tyrol, dando um toque bem aconchegante.  


Entrada do restaurante Stüber

Uma das estações de delícias do café da manhã
Além do restaurante, o Europa Bar é outra opção para o hóspede desfrutar. Com um interessante design e jogo de luzes, o bar oferece petiscos e drinks muito gostosos.

Europa Bar
Após o check-in e uma pequena pausa no hotel, seguimos a pé até a rua principal, a Maria Theresien Strasse, repleta de estabelecimentos e edifícios charmosíssimos. Logo avistamos o monumento símbolo da vitória dos tiroleses sobre os bávaros, a Coluna de Sant'Ana (Annasaüle), erguida em 1706 e benzida no dia de Santa Ana. Por isso o nome em sua homenagem. No alto da coluna está a estátua da Virgem Maria e, em sua base, estátuas de quatro santos.

A charmosa rua Maria Theresien e, ao fundo, a Coluna de Sant'Ana

A rua vista de um outro ângulo
Mais à frente, outra atração: o Telhado de Ouro ( Goldenes Dachl), cujo brilho chama atenção de longe. Construído com mais de duas mil telhas banhadas a ouro para comemorar o segundo casamento do Imperador Maximiliano I, no início de século XVI, o monumento faz parte de um museu que retrata toda a história do edifício.

Telhado de Ouro
Seguindo pela Hofgasse, onde entramos em várias lojinhas de artigos locais e souvenirs bastante interessantes, passamos em frente ao Palácio Imperial de Holfburg, mas não entramos. Um dos edifício mais importantes do país retrata a vida da família real austríaca, juntamente com objetos luxuosos e típicos da época. Termine a visite nos jardins do palácio, onde podemos apreciar as delícias do famoso café Sacher. 

Fachada do Palácio Imperial
Em direção à estação Congress, com o objetivo de fazermos o famoso passeio a Nordkette, passamos também em frente ao Teatro Nacional de Innsbruck, onde suas quatro marcantes colunas completam a bela arquitetura. A programação local inclui óperas, teatros e espetáculos de dança.

Teatro de Innsbruck

Em poucos passos chegamos até a Congress, primeira estação de onde parte um funicular bem moderninho para Hungerburg. A estrutura é bastante interessante, pois a arquitetura curvilínea das estações foi baseada na morfologia dos alpes, o que dá um ar bem futurista,

Congress, uma das modernas estações de Innsbruck
Para chegarmos até Nordkette passamos pelas quatro estações: Congress, localizada no centro histórico da cidade, Hungerburg, Seegrube e, por fim, Hafelekar. Na primeira pegamos um moderno funicular, passamos pelo Alpenzoo (zoológico) e sobre uma ponte acima do rio Inn até atingirmos os 860 metros da estação Hungerburg.

http://www.nordkette.com/en

 
Funicular que vai até Hungerburg
No caminho até a segunda estação

Hungerburg proporciona uma linda vista para a cidade. De lá descemos do funicular e fizemos o encantador trajeto até Seegrube, onde apreciamos a montanha de neve e a paisagem lá do alto.


Feito através de uma gôndola panorâmica, atingindo uma altura de 1905 metros, o percurso deu um friozinho na barriga, mas foi simplesmente indescritível!!! A vista é realmente incrível e a sensação também!

Em Seegrube há pistas de esqui, loja e um restaurante self-service, onde esquentamos um pouquinho do frio congelante lá de fora. Há também o interessante bar de gelo em forma de Iglu, o Cloud 9, que abre suas portas de dezembro a abril. Em frente a ele, você pode se sentar nas cadeiras sobre a neve e admirar uma vista de tirar o fôlego, enquanto bem próximo dali os esquiadores fazem a festa nas pistas.

Se você ainda não se contentar com Seegrube, suba até Hafelekar, que promete 350 dias por ano (e não 360 - rsrsrs!) de vista livre de qualquer nuvem, a uma altura de 2.256 metros.


Eu, admirando a paisagem enquanto subíamos até Seegrube

Restaurante

Iglu Clound 9

Interior geladinho e cheio de luzes coloridas

Logo à frente, cadeiras estão à disposição para quem quiser admirar o visual



Teleféricos sobre as montanhas

Após o imperdível passeio a Nordkette, caminhamos até o centro histórico, passando pelas margens do rio Inn. A paisagem é encantadora, reunindo o colorido das casas e as montanhas cobertas de neve ao fundo. Realmente Innsbruck é uma cidade especial e deve ser incluída no seu roteiro pela Áustria.

Arquitetura encantadora às margens do rio Inn

Pôr do sol em Innsbruck

A noite caminhamos até o restaurante italiano Vapiano, que possui franquias no mundo todo, inclusive no Brasil, em São Paulo e Ribeirão Preto. As massas são caseiras e feitas na hora.

Restaurante Vapiano


Massa om funghi


No dia seguinte, finalizamos nossa passagem por Innsbruck com a fábrica de cristais Swarovski Kristallwelten. Pegamos um ônibus em frente à estação de trem até chegarmos na pequena cidade Wattens, onde também se encontra a mega loja, juntamente com um restaurante, e o interessante museu. É um verdadeiro parque temático de 7,5 hectares, cujo cenário se completa com as montanhas ao fundo e o belo jardim do Gigante. 

A beleza do jardim

O artista André Heller desenvolveu a história de um Gigante que partiu para explorar as maravilhas do mundo. Por isso o nome de Chambers of Wonder, que representam os ambientes do museu, onde diferentes conceitos de espaço foram criados a partir do brilho dos cristais.




O Gigante


A fábrica



O museu possui instalação de som e luzes fascinantes, começando pela Blue Hall, que exibe obras de artistas como Salvador Dalí, um muro de cristais e o cristal gigante em forma de diamante.


Passamos pela linda Crystal Dome (cúpula de cristal), um dos mais interessantes atrativos. Com 595 espelhos que criam um efeito especial, a sensação é de estarmos dentro de um cristal. 




Outra interessante atração é a Ice Passage (passagem de gelo), um corredor cujas luzes do chão se acendem a cada passo, acompanhadas de sons misteriosos, como se causassem fissuras em uma superfície congelada. 

Ice Passage. Foto do site oficial

A Famous é uma sala que exibe quatro marcos arquitetônicos em uma dimensão cristalina: O Taj Mahal, a Pirâmide de Quéops, o Empire State e o Mausoléu de Lenin

Taj Mahal em forma de cristal

Ao todo são 16 ambientes dentro do museu, que abrigam uma rica e preciosa coleção, proporcionando um verdadeiro mundo de fantasias. Se quiser saber mais sobre o mundo da Swarovski, acesse o site oficial http://kristallwelten.swarovski.com

Corredor interessante entre os ambientes do museu.
Finalizamos nosso passeio na linda loja da marca, que reúne diversas linhas, além de produtos de beleza, relógios e óculos.




No dia seguinte partimos bem cedo rumo à apaixonante Salzburg. Aguardem!

B.Jus