sábado, 10 de maio de 2014

Um breve passeio em Berna


Berna é a capital de um dos países mais lindos e organizados da Europa, a Suíça. No segundo dia de viagem, partimos de trem de Fribourg em direção a essa compacta e charmosa cidade, que tem seu centro histórico considerado o mais preservado do país. A viagem durou menos que 25 minutos. 

Em estilo medieval e emoldurada pelo rio Aar, onde correm águas verdinhas dependendo do tempo, a parte antiga de Berna está na lista da Unesco como patrimônio mundial. A cidade foi fundada no século XII pelo duque Bertoldo V, que a nomeou como Bärn em homenagem ao primeiro animal que ele matasse em sua próxima caçada. Foi um urso (Bär) e, por isso, muitos desses animais são mantidos em tocas que se transformaram em um parque de 6000 m², aberto à visitação.

Em frente à estação de trem pegamos um bonde até a porta do apartamento onde morou, por 2 anos, ninguém menos que o pai da física, Albert Einstein, com a esposa Mileva e o filho Hans Albert. A atração está localizada na bela rua Kramgasse, no segundo andar do nº 49, a apenas 200 metros da Torre do Relógio. Foi nesse endereço que Einstein desenvolveu a Teoria da Relatividade. 


Um dos bondes na rua Marktgasse, a principal de Berna
Continuação da rua Marktgasse, a rua Kramgasse é uma das mais charmosas da cidade. 

Fachada da casa de Einstein
A escada que leva ao apartamento dá boas-vindas ao visitante com um teto que reproduz a via láctea. Ao chegarmos no segundo andar fomos muito bem recepcionamos por uma simpática funcionária. Neste ambiente encontramos a escrivaninha onde Einstein estudou sua famosa Teoria da Relatividade e outras importantes teorias.





Depois conhecemos a sala de estar do apartamento, onde estão expostos móveis, objetos, textos e muitas fotos de família, além do bercinho do filho.




Einstein e sua esposa
Dedicado à biografia e ao trabalho de Einstein, foi incluído um terceiro andar. Lá encontramos um sistema moderno de exposição de textos e datas mais marcantes da sua vida. 

O horário de funcionamento da casa é de 10 hs às 17 hs. Em janeiro não é aberta e nos meses de fevereiro e março a casa fecha aos domingos.


Após a visita, entramos no Einstein Café, localizado no primeiro andar do imóvel, e saímos pela porta da rua paralela à Kramgasse, a Münstergassse, onde todas as manhãs de terças e sábados é montado um descontraído mercado de rua com opções variadas de alimentos, como queijos, antepastos, carnes, doces, legumes e frutas.

Einstein Café
As barraquinhas do mercado mais parecem delicatessen e os açougues são limpos e muito bem apresentáveis, como se fossem boutiques de carne. Também pudera, o valor da carne na Suíça é bem alto. Só para ter uma ideia, uma bandejinha com 2 bifes de frango era quase R$ 20,00.

Os queijos eram de dar água na boca. Tinham para todos os gostos e em algumas barraquinhas pudemos degustá-los. 



Carne seca, prato típico da região do Valais


Paramos na Au délice du Vully, onde comemos uma espécie de torta de amêndoas assada, com consistência de pão. Entre os sabores doce com amêndoas e salgado com bacon, ficamos com o primeiro. Macia, caramelizada e deliciosa. 



Flores também eram vendidas. Ao lado da banca (foto abaixo), uma charmosa lojinha no subsolo da rua me chamou a atenção. A porta era aberta para cima, como se fosse um alçapão.


Pra completar, música clássica de rua. Esse casal tocou lindamente músicas de Mozart e Vivaldi.


Mais adiante, na mesma rua, fomos ao encontro da catedral mais importante e mais alta da Suíça desde os tempos da Idade Média. A igreja tem estilo gótico e seu interior é decorado com 3 órgãos. O principal desses instrumentos musicais é encontrado no lado oposto do altar. Para registrarmos a vista da cidade, subimos os 344 degraus da torre.

Catedral de Berna
A vista resume-se em bonitas construções da cidade antiga contornadas pelo rio Aar, sobre o qual passam pontes e, ao fundo, algumas montanhas com o topo branquinho de neve. Uma graça!

A ponte metálica Kirchenfeldbrücke

Vista para o rio Aar

Aos pés da catedral, todo primeiro sábado de cada mês (março a dezembro), é montado um pequeno mercado de artesanato local, o Handwerkermarkt, das 09:00 hs às 17:00 hs. O lugar, chamado de Münsterplattform, é amplo e muito bonito, preenchido de árvores que, na época, não tinham nenhuma folha e, por isso, davam um toque especial. Dali dá pra tirar fotos e ver o rio Aar mais de perto.

Mercado de artesanato na Müsterplattform
De lá passamos em frente ao Kultur Casino, onde a Orquestra Sinfônica de Berna se apresenta na maioria de seus concertos, caminhamos até a Casinoplatz e depois até a Marktgasse para apreciar o marco central da cidade, a Torre do Relógio (Zytglogge), reconstruída após um incêndio no século XV e, na época, transformada em prisão para prostitutas. Já o relógio astronômico, uma das atrações mais fotografadas, e suas figuras em movimento foram feitos no século posterior.


Relógio astronômico
Perto dali está o mais importante centro cultural da cidade, o Kornhaus, onde funcionou um celeiro, no século XVIII, erguido sobre caves de vinho. No local há um restaurante de cozinhas mediterrânea e típica.

Mais a frente encontramos o Parlamento (Bundeshaus), registrado na foto abaixo. Em frente do edifício duas praças, Bundesplatz e Bärenplatz, são divididas pela rua Marktgasse. No dia, ambas estavam também ocupadas por mercados de produtos típicos, que acontecem todas as terças e sábados e, de abril a outubro, também às quintas-feiras.

A tradição dos mercados de rua da cidade remonta há mais de um século. Desde a Idade Média, alimentos, flores e outras especialidades são produzidos na região.

Bundeshaus

O mercado da Bärenplatz
Um pouco mais afastada, uma atração imperdível para as famílias é o parque dos ursos, o Bärengraben, onde há cavernas e pequenos lagos que recriam o ambiente natural para eles. Nesse parque, o Bern Show conta a história local através de maquetes e slides. Para maiores informações sobre horários de abertura e localização acesse o site oficial.

Perto de lá, o jardim Rosengarten, localizado em uma encosta com vista para a cidade antiga, tem mais de 200 variedades de rosas.

Berna é assim, uma cidade prática que transborda charme e aconchego. Não deixe de incluí-la em seu roteiro.

Próxima postagem sobre a Suíça: Gruyères. Aguardem!

B.Jus



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do blog e deixe seu registro!