quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A riqueza de Abu Dhabi: segunda parte

No dia seguinte, com o transporte oferecido pelo hotel, fomos conhecer uma das maiores mesquitas do mundo, a Sheikh Zayed Grand Mosque, onde o primeiro presidente dos Emirados Árabes está enterrado.

A vestimenta adequada para as mulheres são calças ou saias compridas, camisas de manga longa e cabelos cobertos por lenço. Para os homens o ideal são camisas de manga e calças. Nada de bermudas. Quem estiver com trajes inadequados, são oferecidas abayas pretas para mulheres e dashas para homens.

Ao entrar na mesquita, fui direcionada a uma sala onde vesti a abaya, roupa típica das muçulmanas, para poder percorrer o interior do monumento. Além da vestimenta adequada, todos devem tirar os sapatos antes de entrar.





Quadro informativo sobre o traje na entrada da mesquita. 

As colunas refletidas nos espelhos d'água completam a beleza da fachada. E por falar em colunas, há 96 delas no salão principal decoradas com madre pérola e 1.096 na área externa revestidas de mármores e pedras semi-preciosas. O branco puro do mármore e o dourado são as cores predominantes no exterior da mesquita, que possui um sistema de iluminação de acordo com as fases da lua. O efeito é criativo e chama atenção de longe.


Beleza impressionante 
No salão de orações, a beleza da arquitetura torna-se mais encantadora com os suntuosos objetos que a compõem, como um dos maiores lustres do mundo, medindo 15 metros de altura e o tapete persa de 5.700 metros quadrados, feito à mão por mais de 1.200 artesãos. É de deixar qualquer um de queixo caído!

O maior tapete feito à mão do mundo

Lustre feito na Alemanha com aço, latão, ouro 24 quilates e cristais swarovski


O relógio de oração, feito em Londres, mostra as horas do nascer e do pôr do sol, bem como as cinco chamadas por dia para oração. Na bela parede Qibla estão escritos os 99 nomes de Allah na tradicional caligrafia Kufi.

Relógio de oração

Parede Qibla
Para maiores informações sobre horários de visita na mesquita, acesse o site oficial.

Mais tarde fomos jantar no luxuoso Emirates Palace Hotel, onde está localizado o Hakkasan, um dos melhores restaurantes chineses do mundo, com unidades em vários países. Foi uma ótima oportunidade para conhecermos o hotel, que esbanja o que a arquitetura e cultura árabes têm de mais sofisticado. Em seu interior prevalecem ouro, prata, mármore e lustres de cristal Swarovski, além de um alto nível de conforto. O hotel oferece serviço de mordomo e 1,3 Km de praia privativa.


Fachada principal do Emirates Palace

Fontes dos dois lados da entrada. 


O hall foi um convite para conhecermos todo o restante do hotel, que é rico em detalhes e acabamentos de nível máximo. Antes da entrada ao restaurante, caminhamos no interior até chegarmos ao deslumbrante lobby.



Vista do lobby para os corredores das suítes

Teto do lobby

Uma das belas escadas do hotel

O Hakkasan resume-se em um ambiente sofisticado com comida divina e formalismo extremo. Experimentamos o nobre Wagyu Beef, carne que derreta na boca de tão macia. Para entrada peça um mix de rolinhos primavera com legumes e bolinhos com recheios variados. Tudo excelente e muito saboroso. 

Seja cauteloso ao fotografar, pois enquanto esperávamos por uma mesa, pedimos um drink no bar, mas ao tirarmos foto nossa, um dos funcionários nos alertou sobre a proibição de fotografias que pudessem comprometer os clientes. 


Entrada variada e super saborosa

Wagyu ou kobe beef
Após o jantar, tivemos também a oportunidade de vermos as luzes do hotel e suas áreas, além dos modernos prédios em volta. Um espetáculo à parte.






Fontes iluminadas do Emirates Palace Hotel

No dia seguinte fizemos um tour no Falcon Hospital, o maior hospital de falcão do mundo e principal centro de medicina especializada. Decidimos conhecer o local porque os falcões são aves idolatradas pelos árabes e simbolizam status, fazendo parte da cultura do país. 

A visita iniciou-se em um pequeno museu onde o guia explicou sobre a vida dos falcões e seu habitat. A visão desta ave é tão nítida e afiada que seus olhos são vendados quando não estão em atividade de caça, esporte este chamado de falcoaria, no qual os animais são treinados para caçar as presas. O costume, antes um meio de sobrevivência, atualmente transformou-se em um hobby. 



Passamos por uma sala de exame clínico, onde presenciamos o excelente tratamento dado aos falcões, inclusive uma pequena cirurgia. Depois seguimos com um carrinho tipo de golf para o aviário de vôo livre e, por fim, fechamos o passeio em um espaço de vendas de souvenirs e lanche. 





Algumas pessoas compraram o tour com almoço típico e seguiram para um local temático, pertencente à área do hospital. Sinceramente, não achei muito atraente almoçar em um hospital de aves.

Tivemos grande dificuldade para voltar, já que o hospital é um pouco distante e não havia transporte por perto. Um funcionário ligou para chamar um táxi, e demorou muito. Ficamos quase 1 hora esperando. Portanto, a dica é combinar um horário de volta com o taxista que te levar.


Espaço para almoço no Falcon Hospital

De lá passamos em frente a Corniche, orla de 8 km de extensão, onde há pista para caminhada, ciclovia, cafés e restaurantes, além da praia de mesmo nome. Seguimos para o Marina Mall que, apesar de ser o maior shopping de Abu Dhabi, é bem modesto se comparado com os de Dubai. Almoçamos em um restaurante italiano, e depois fizemos umas comprinhas que valeram a pena nas lojas Zara, Armani e Paris Galery.

Corniche

Restaurante no Marina Mall

Na volta, fomos até a Heritage Vilage, que reproduz uma aldeia típica do passado árabe, mostrando como era a vida no deserto. Há oficinas onde artesãos demonstram suas habilidades, além de loja de especiarias. Infelizmente não vimos nada aberto porque o local já havia fechado. O horário de funcionamento é de sábado  a quinta-feira de 09:00 hs às 17:00 hs e sexta-feira de 09:00 hs às 15:30 hs.

Não percam a próxima postagem. Falaremos sobre a Yas Island, onde está o famoso e divertido Parque da Ferrari, o moderno hotel Yas Viceroy, a Marina e o circuito de Fórmula 1.

Até a próxima!

B.jus



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do blog e deixe seu registro!