terça-feira, 3 de março de 2015

Fim de semana incrível no Rio


Outubro foi o mês do casamento de uma grande amiga em Niterói, e, portanto, uma ótima desculpa para ficarmos uns dias na cidade mais linda do Brasil, o Rio de Janeiro!!

Desembarcamos no aeroporto de Santos Dumont e partimos em direção a Copacabana, mais precisamente ao Rio Othon Palace, localizado na Av. Atlântica. O estabelecimento passou por reforma, tem quartos amplos com vista para o mar, café da manhã variado, piscina e um restaurante muito bom, o Skylab, que serve pratos saborosos e possui um ótimo atendimento.


Nosso quarto

Vista para o Pão de Açúcar
Enquanto o horário do almoço não chegava, resolvemos explorar as redondezas. Já sabia que perto dali, na movimentada Av. Nossa Senhora de Copacabana, estava instalada a vencedora do melhor pão e melhor macaron do Rio, a Boulangerie Guerin. Comandada pelo chef Dominique Guerin, a linda loja oferece produtos típicos franceses feitos artesanalmente, como quiches, baguettes, macarons, brioches, croissants, mil-folhas. 





Nunca havia experimentado um quiche tão saboroso, com massa e recheio perfeitos. Enquanto isso, admirávamos a produção comandada pelo chef. Um vidro separa a loja e a área onde são produzidas as delícias. Uma verdadeira vitrine.

Para sobremesa fomos agraciados com o diferente macaron de lavanda. Apesar da textura inigualável, prefiro mesmo o de sabor chocolate.

Quiche divino de legumes.
Mais tarde fomos almoçar no tão esperado restaurante francês Olympe, do chef Claude Troisgros. O Claude é o queridinho das celebridades e de quem faz questão de apreciar as melhores receitas francesas do Rio. Além do Olympe, há mais três restaurantes da família: CT Boucherie (carnes), CT Trattorie (massas) e CT Brasserie (também francês).


Fomos recepcionados pelo Cleiton, que nos atendeu perfeitamente junto com os demais funcionários, e preparou um drink cítrico, que não estava no cardápio, especialmente para mim. Antes do deleite, fomos servidos de um biscoito artesanal feito pela casa, super crocante e delicioso. Inclusive, no programa Que Marravilha!, o Claude já fez a receita.

À direita, o delicioso biscoito


O menu do dia estava tentador. A entrada foi composta de lasanha de cogumelos e espuma trufada. Uma coisa! A melhor que já comi na vida! 

Lasanha de cogumelos
Para o prato principal escolhemos a cavaquinha com couve de Bruxelas caramelizada. Inexplicável, inigualável!

Cavaquinha
Para finalizar, o clássico e indescritível crepe passion, uma paqueca souflé caramelizada com calda de maracujá. Simplesmente de comer de joelhos!


A outra sobremesa, chiquérrima por sinal, foi a torta mousse de chocolate ao leite, sorvete de baunilha e espuma de manjericão. Para completar a sofisticação uma folhinha de ouro! Após o inesquecível almoço, perguntei ao Cleiton se o Claude ou o Batista estavam no restaurante, mas infelizmente não. Na oportunidade o maitre, que para quem não conhece, participa também do programa no GNT, fez questão de nos levar para conhecermos a cozinha. Lá fomos apresentados à simpática e talentosa equipe.


Após o almoço fomos até o Jardim Botânico repor as boas energias. O imenso jardim de 50 hectares, localizado em plena metrópole, encanta e revigora seus visitantes. Suas atividades foram iniciadas no século XIX com o objetivo de adaptar ao clima especiarias orientais, como baunilha, canela e pimenta, bem como realizar experiências com vegetais vindos de Portugal. 


O pau-brasil, árvore símbolo do Brasil, é uma das diversas espécies vegetais do Jardim, podendo chegar a 30 metros de altura.

Pau-brasil
O lindo cactário possui espécies de bromélias e outras plantas, como cactos e suculentas, que foram recuperadas de uma encosta na Barra da Tijuca devido a perfuração feita para uma linha do metrô. 

Cactário
Juntamente com a escultura da deusa Tétis, as vitórias-régias embelezam o lago Frei Leandro em frente à gruta Karl Glasl, nome dado em homenagem ao ex diretor do Jardim. 

A gruta toda feita de pedras foi construída para abrigar espécies de plantas que vivem em ambientes úmidos, como samambaias, musgos e avencas.

Lago Frei Leandro

Gruta Karl Glasl
O orquidário, a mais bonita coleção do Jardim Botânico, é um show à parte, com mais de 700 espécies de orquídeas.

Orquidário




As palmeiras-imperiais compõem um dos monumentais caminhos do Jardim Botânico, chamado de Barbosa Rodrigues. Dali conhecemos o Jardim Japonês, juntamente com seus bonsais, bambuzais, cerejeiras e peixes.  

Eu, no caminho Barbosa Rodrigues
Jardim Japonês
A noite fomos até o nova-iorquinho P.J. Clarke's, inaugurado em 2014 no Leblon. A especialidade da casa são os clássicos hamburgers, servidos sob mesas com toalhas em xadrez no estilo rústico. 

Pedimos o Patrick Joseph Clarke e o Bbq Bleu Burger, ambos acompanhados de batatas fritas. O primeiro, composto de cheddar, cebola caramelizada, alface e tomate estava bom, mas nada surpreendente. Já o segundo, bem mais saboroso, tinha como ingredientes gorgonzola, onion rings (anéis de cebolas empanadas), molho barbecue, alface e tomate.

Para finalizar pedimos sorvete de baunilha, acompanhado de farofinha, chantilly e uma deliciosa calda de chocolate.


Patrick Joseph Clarke

Bbq Bleu Burger

Sobremesa
No dia seguinte o céu azul foi um convite para um passeio turístico que eu nunca havia experimentado, o bondinho do Pão de Açúcar. O sistema é super moderno e seguro. Primeiramente subimos até o Morro da Urca (227 metros de altura), que rendeu belíssimas fotos e uma paisagem de tirar o fôlego! Realmente o Rio de Janeiro, para mim (e acho que para a grande maioria dos brasileiros), é a cidade mais espetacular do Brasil e deixa muitas outras internacionais no chinelo.

Subida para o Morro da Urca

Chegando no Morro da Urca

Na Praça dos Bondes estão expostos dois bondinhos antigos e duas esculturas em homenagem aos idealizadores Augusto Ferreira Ramos e Cristóvão Leite de Castro. Ainda no Morro da Urca está localizado o espaço Baía de Guanabara, que possui restaurantes e lojinhas.

Praça dos Bondes

A vista dispensa comentários! O Rio pode ser apreciado de todos os ângulos.

Baía de Guanabara e Cristo Redentor
A próxima etapa era subir até o Pão de Açúcar, a 395 metros acima do nível do mar. Estar ali nos proporcionou paisagens extraordinárias da cidade, inclusive de Niterói. Foi como se tudo aquilo estivesse ao nosso alcance, como se pudéssemos abraçar o Rio e o oceano.





Vista para Niterói

Vista para a Praia Vermelha, Leme e Copacabana

De lá fomos até a tradicional Confeitaria Colombo para experimentar o famoso pastel de nata. Fundada em 1894, a Colombo é símbolo da belle époque e possui riquíssima decoração, a começar pelos espelhos belgas e o mobiliário em jacarandá. É surpreendentemente linda!


Após um curto tempo na fila fomos acomodados em uma das mesas, mas o atendimento deixou um pouco a desejar até que um dos garçons nos deu uma atenção especial e reverteu nossa primeira impressão. Como sugestão, pedimos os pastéis de nata, que são crocantes, deliciosos e não perdem para os legítimos pastéis de Belém em Lisboa.



A última noite no Rio foi marcada pelo jantar no Quadrucci, restaurante italiano queridinho e descolado no Leblon. Reservamos uma mesa na varanda, ótimo local para observar o vai e vem do público na rua Dias Ferreira.

Para inaugurar, o mix de antepastos com berinjela, parma, mussarela de búfala, grana padano e abobrinha grelhada caiu muito bem. Os pratos principais fizeram sucesso na mesa. O primeiro, um filé recheado com brie ao molho funghi, acompanhado de taglioline ao azeite trufado, estava delicioso, mas o cozimento da massa passou do ponto. E o segundo, um risoto de aspargos, cogumelos e ovo pochê trufado estava divino.







A sobremesa, um fondant de chocolate belga e morangos, foi uma das melhores que já experimentamos. Realmente dos deuses!!!



No dia seguinte, durante a manhã, alugamos as bikes do Itaú, logo em frente ao hotel, e fomos de Copacabana ao Leblon. São 60 estações e um total de 600 bicicletas espalhadas pela cidade. O valor da locação é de R$ 5,00 por 24 horas, mas a bike deve ser devolvida em qualquer estação em, no máximo, 1 hora e, após 15 minutos da devolução, é liberada novamente. O motivo é a rotatividade e a oportunidade para outras pessoas usufruírem. O projeto é super interessante e funciona muito bem.
Para maiores informações, acesse o site http://www.mobilicidade.com.br/bikerio.asp


Bike Rio

Antes de partirmos para o aeroporto almoçamos no agradável Skylab, restaurante do Othon que possui ótimo atendimento e comida de qualidade, como o risoto de aspargos com cogumelos.


E assim fechamos mais uma viagem com a certeza de um breve retorno, afinal, o Rio sempre deixa saudades...

B.Jus



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe do blog e deixe seu registro!